terça-feira, 26 de novembro de 2019

Quinzena da Cidadania promove Teatro Infantil em Angolares

O distrito de Caué, mais concretamente a cidade de Angolares foi palco da exibição teatral das crianças das fundações Novo Futuro e Arcar. Uma forma encontrada para descentralizar as actividades da Quinzena. 

Alunos, pais e encarregados da educação, professores e o presidente da câmara de Caué marcaram presença nesta actividade descentralizada organizada pela fundação Novo Futuro no quadro da primeira Quinzena da Cidadania .“ Construir a cidadania não é fácil e só é possível educando deste pequeno. E é nesta tenra idade que se deve incutir neles os valores essenciais. Ensinar brincando é o nosso objectivo. E creio que se todos fizermos isso, cada um no seu lugar a sociedade seria mais participativa” referiu Dulce Gomes representante da fundação Novo Futuro. 
O presidente da FONG-STP Cândido Rodrigues começou por agradecer a presença das pessoas para depois enaltecer a importância da Quinzena da Cidadania, os seus objectivos e a meta a atingir. 

O bulauê Inhecoçú de Angolares fez as honras da casa com actuação de duas músicas sobre o valor das mulheres. 

Os meninos das fundações Novo Futuro e Arcar brindaram o público com uma peça teatral sobre “ ser cidadão; a necessidade de cultivarmos valores cívicos”. A peça foi muito aplaudida pelos presentes. 

“ eu gostei muito desta actividade, principalmente do teatro, foi sensacional. Os valores que eles falaram são importantes, porque as vezes nós esquecemos de dizer obrigado, de pedir desculpas quando ofendemos alguém”, disse Oscarito Menezes 

É uma boa iniciativa. Porque com o teatro foi possível ver de forma prática o que é ser cidadão, os conceitos da cidadania. O que falta agora é todas as entidades garantirem os direitos que protegem os jovens. Mas a família também deve ajudar a construir um cidadão exemplar . Os cidadãos aqui em Angolares participam nas actividades cívicas, contudo falta maior organização“referiu o professor Vicente Dias . 


Firmino Raposo, autarca local disse que se sentiu lisonjeado , uma vez que a exibição foi excepcional. Esta actividade “ é bastante boa, porque a cidadania envolve a participação das pessoas. E as pessoas aderiram em massa. Devemos ter unidade, só assim será possível ter um São Tomé que desejamos. As crianças são fundamentais e a educação caseira precisa-se. Foi espectacular para mim, essa actividade da quinzena” 

Os alunos da escola secundária de Angolares também participaram na actividade com um jogral a volta da cidadania. Durante o evento esteve patente ao público uma exposição de desenhos feitos pelos meninos da fundação Novo Futuro.

Sem comentários:

Enviar um comentário